terça-feira, 22 de maio de 2007

Língua com purê de batatas


Eu sei, eu sei, língua não é o prato mais popular do mundo. Muitas pessoas, incluindo meu marido, sequer experimentam a iguaria e já torcem o nariz. No entanto, na minha família de origem, a língua acompanhada de purê de batatas era feita em dias friozinhos e hoje, para mim, é tão comfort food quanto um risoto ou uma sopinha. Tradição que consegui passar ao meu filho.

A língua, da maneira que faço, é um prato tradicional na Alemanha (não sei se há pratos tradicionais feitos com ela em outros países), já a encontrei em cardápios de vários restaurantes alemães em São Paulo e no sul do Brasil. Vamos à receita:

Língua com purê de batatas
1 língua de tamanho pequeno ou médio (as muito grandes têm muita gordura)
2 folhas de louro
5 colheres de sopa de vinagre branco (de maçã, de vinho branco...)
3 xícaras de molho de tomate preparado (eu preparo o meu, caixinhas, tô fora)
3 colheres de azeitonas verdes picadas
2 colheres de sopa de cheiro verde picado

Lave bem a língua em água corrente e coloque-a numa panela de pressão com vinagre, louro e cubra-a de água. A minha cozinhou em 20 minutos, é importante que ela não fique muito molenga, estará no ponto quando uma faca pontuda entrar na carne sem resistência.

Tire a língua da panela e deixe que esfrie até ficar morna, pelo menos. Se tiver tempo, deixe esfriar completamente para facilitar o corte. Retire a pele grossa que envolve a língua com um garfo ou uma faca pontuda, ela sai facilmente, como a pele de um tomate.
Depois de esfriar, corte a língua em fatias finas (as mais finas que conseguir) e reserve.

Aqueça o molho, adicione as azeitonas e o cheiro verde, coloque a língua fatiada no molho. Deixe ferver por uns 5 minutos. E está pronta, é só servir com purê de batatas que eu fiz sem nenhum salamaleque, só batata, manteiga, alho, sal e leite até dar o ponto, que é um pouco firme.
Se alguém, uma única pessoa, que nunca comeu língua ousar experimentá-la, já ficarei feliz. Bom apetite!

15 comentários:

dadivosa disse...

Cláudia, está super apetitosa! A mãe faz uma língua com molho de tomate e ervilhas que é sucesso total! Dia desses pedi a receita para ela, mas ainda não me animei a fazer.
Beijos

fezoca disse...

Eu fui forcada a comer isso, que eu considero uma das iguarias mais nojentas com que ja topei. Mas minha mae adora! Ela eh do seu time... Eu prefiro comer pao com manteiga! ;-)) beijaoo,

Patricia Scarpin disse...

Claudia, sabe que minha avó materna era alemã? E ela fazia essas "coisas" pra gente comer quando éramos crianças mas sempre dávamos um jeito de escapar. risos
É claro que do Apfelstrudel e dos cookies amanteigados ninguém corria. ;)

Não comeria língua mas sei que minha avó (a outra, paterna) adora e sempre está em busca de uma receita bacana. Vou imprimir e levar pra ela.

Eliana Scaramal disse...

Eu nunca comi, então não posso dizer que não gosto. Mas experimentaria sem problemas, ainda mais um pratinho bonito assim!!! :)

Elvira disse...

Eu até não desgosto... De vez em quando, em França, comia. Só que não consigo cozinhar coisas assim em casa. É como tripas. Até gosto, mas só no restaurante. Parabéns pela sua coragem...! ;-)

Flavinha disse...

Amoreca
Eu não gosto de língua não rs mas sabe que me deu vontade?
Uma vez eu comi e tinha um furinho, acho que era uma afta sei lá... fiquei meio com nojo e depois nunca mais comi.
A gente fala q não gosta e não prova, dai não tem graça.
Postei nova receita de bolo e de sopa de mandioca... passa lá em casa =o)
Bjs

Natércia disse...

Claudia eu adoro lingua ainda bem que me fez lembrar pois não como já faz muito tempo,vou fazer um dia destes.um beijinho....Natércia

Marília disse...

Minha boca encheu de água! Menina, quanto tempo não preparo uma..
Obrigada pela lembrança!!

Joaninha disse...

Cláudia você tem razão, muita gente torce o nariz. Você acredita que me lembro de comer em pequena e ter gostado mas agora estou como a Elvira,não me consigo imaginar a cozinhar tal coisa... De qualquer forma a verdade é que a sua língua tem um aspecto delicioso... :-)

Quanto à minha tarde de maçã o Haruki desta vez fez mais do que babar-se :-D, conseguiu apanhar a colher de pau que utilizei para fazer o recheio e roeu-a toda (depois de a lamber ,claro)! Com esta já são 3 que vão directamente para o lixo! :-D

Agdah disse...

Menina, você já comeu a assada e recheada com calabreza. Minha mãe faz e fica uma delícia.

Cláudia disse...

Cláudia, eu não acredito no que eu estou vendo!Eu adorava a língua com purê de batatas que minha avó fazia, num molho de tomate maravilhoso, esta carne tão molinha e saborosa. Sabe, minha vózinha materna, eu era tão ligada a ela e já faz 22 anos que ela não está mais entre nós. Foi como eu disse outro dia, em algum comentário, as memórias culinárias são muito fortes, vem do subconsciente (nossa! preciso falar com a minha terapeuta sobre isso). Adorei saber que você prepara este prato. Na minha família só restou uma tia minha que faz igual à minha avó. Ela mora em S.Paulo. Vou tentar fazer ou vou chamar a minha querida tia.
Adorei, beijos minha querida xará.
Cláudia B.
=^.^=

Cláudia A. disse...

Dadivosa, põe a mão na massa, quer dizer, na língua e mostra pra gente.

Fer, enjoy seu pão com manteiga, o importante é ser feliz. Acho que sua mãe é uma pessoa de bom gosto (rsrs).

Patrícia, peça para a sua avó contar o que achou.

Eliana, vou mandar um pouco para você.

Elvira, nossa, estou quase me sentindo uma heroína.

Flavinha, as vezes pequenos "traumas" culinários fazem estragos mesmo. Vou passar lá hoje, sem falta.

Natércia, que bom que lhe inspirou.

Marília, recordar é viver.

Joaninha, que bom que você experimenta. Quando vi que na sua receita iam maçãs, logo pensei que o Haruki não deixaria escapar.

Agdá, passe a receita, please.

Cláudia, eu também sinto isso, algumas comidas fazem com que eu me sinta mais próxima de quem jpa partiu.

Beijos.

Cris disse...

Olha você ressuscitou um prato que muita gente detesta, mas minha irmã, que não sabe cozinhar, faz esta receita muito bem, vou até falar para ela! Bjs!

Cláudia A. disse...

Cris, fale para sua irmã e me diga o que ela achou.

Cris disse...

cláudia, eu sou LOUCA por língua, mas os ogros aqui de casa não são tão ogros assim ew não gostam. portanto, se eu fizer terei de comer sozinha, o que é uma pena. então acabo não fazendo. vendo esse teu prato tão lindo fiquei com água na boca! bj